domingo, 29 de novembro de 2009

Mensagem


Serenidade

Transite com calma entre a bulha e a pressa, e não se recuse à paz do silêncio. Sem sacrificar os seus princípios, seja cordial com todos. Mostre sereno e calmo a sua verdade e escute a dos outros, mesmo a dos pobres de espírito: eles também têm o que dizer.
Evite os barulhentos e os agressivos, eles constrangem o espírito. Comparando-se com os outros, evite a vaidade e a mágoa; porque sempre haverá gente abaixo e acima de você. Goze as suas vitórias como os seus projetos.
Não despreze a sua carreira, por mais humilde que seja; ela será um bem nas incertezas do amanhã. Proceda com cautela nos contratos de comércio, pois o mundo está cheio de raposas. Mas que a cautela não o cegue para a virtude; existe idealismo também, e não falta heroísmo no mundo.
Seja fiel a si mesmo. Acima de tudo, nunca finja afeição. Jamais seja cínico em amor, pois mesmo com o risco de aridez e desencanto ele é perene como a relva.
Aceite de bom grado as ponderações da idade, não se apegue aos bens da juventude. Exercite a fortaleza de ânimo para se garantir nos desastres súbitos. Mas não se deixe transportar pela imaginação. Muitos receios nascem do cansaço e da solidão. Adote uma disciplina saudável, mas não se esgote por ela. Você é filho do Universo, como as árvores e as estrelas, e tem o direito de estar aqui. E quer você entenda quer não, o Universo se expande como deve.
Esteja pois em paz com Deus, com o seu Deus; e sejam quais forem as suas lutas e os seus ideais, viva em paz com sua alma, mesmo no fragor das batalhas.
Malgrado as imposturas, as durezas e as decepções, o mundo ainda é belo. Tenha cuidado. Procure ser feliz.

Max Ehrmann 1872-1945
(Poeta e teatrólogo americano)

domingo, 8 de novembro de 2009

Israel Pedrosa e Aníbal Bragança na Livraria Ideal, alguns flagrantes

Manhã de autógrafos para o lançamento da 10ª edição do livro 'Da Cor à Cor Inexistente', de Israel Pedrosa e da 2ª edição do livro 'Livraria Ideal: do cordel á bibliofilia', de Aníbal Bragança.
Como sempre, o clima foi de franca camaradagem e bons papos.






















terça-feira, 22 de setembro de 2009

Primavera


Canção da Primavera

Para Érico Veríssimo


Primavera cruza o rio

Cruza o sonho que tu sonhas.

Na cidade adormecida

Primavera vem chegando.


Catavento enlouqueceu,

Ficou girando, girando.

Em torno do catavento

Dancemos todos em bando.


Dancemos todos, dancemos,

Amadas, Mortos, Amigos,

Dancemos todos até

Não mais saber-se o motivo...


Até que as paineiras tenham

Por sobre os muros florido!


Mário Quintana

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Gilberto Emílio Chaudon, meu Pai

Aos 4 anos de idade, em 10/09/1910

Estaria hoje completando 103 anos.

No dia de Natal de 2002 despediu-se de uma longa e frutífera vida, tendo constituído numerosa família e conquistado inúmeros amigos.

Publicou livros, participou ativamente de várias Instituições culturais, foi pintor amador.

Mas, sobretudo, legou-nos exemplo de integridade, bondade e dedicação.

Está vivo em nossa memória e corações.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Uma imagem Zen

Projeção de vegetação na parede do corredor de casa, ao nascer do Sol.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Verdes anos, com Pai e trigo

1960: este blogueiro ( ao contrário do que possa parecer, não assistia à TV), o Pai ao fundo, entregue à leitura na poltrona onde hoje me recosto sob ' o mesmo velho sol que aquece a sala. '

Uma bela gravura

Castelo de Stº Ângelo, Roma - autor por identificar. Reprodução de original.

terça-feira, 7 de julho de 2009

quinta-feira, 21 de maio de 2009

O Caminho do Campo

Nossa casa/galpão no Rincão, 1980 (lápis s/ papel jornal)